Quarta, 21 de novembro de 2018
(83) 9 9684-1386
Cidades

07/02/2018 ás 11h26

Redacao

São Bento / PB

Moradores de União bloqueiam rodovia PI-112 contra aumento de passagem
Cerca de 200 moradores, segundo a PM, fizeram barricada depois de mobilização pelas redes sociais. Protesto foi encerrado e pista foi liberada quase às 13h.
Moradores de União bloqueiam rodovia PI-112 contra aumento de passagem
Trânsito na PI-112 foi bloqueado por barricada feita pelos moradores. (Foto: Reprodução/Portal Clique União)

Um grupo de moradores da cidade de União, a 65 km de Teresina, bloqueou a rodovia PI-112, que liga o município à capital, com barrigadas feitas de pneus e galhos em chamas por volta de 6h desta terça-feira (6). Os moradores protestam contra o aumento das passagens de ônibus e vans que fazem o trecho União-Teresina, que aumentou de R$ 6 para R$ 8. O protesto foi encerrado às 12h40min e a rodovia desbloqueada.


O trânsito na rodovia está parado desde o início do protesto. O comandante da Polícia Militar em União, capitão Miguel Luz, disse que o protesto é pacífico. “Vamos acionar a equipe de gerenciamento de crise da Polícia Militar”, disse. Segundo o capitão, cerca de 200 pessoas participam do protesto.


A portaria que institui o aumento foi publicada no Diário Oficial do município na sexta-feira (2). De acordo com a estudante Sanny Ravane, algumas empresas já estão operando com o novo valor. “O aumento é ainda maior nos ônibus, que antes cobravam R$ 5. Tem gente que precisa ir e voltar de Teresina todos os dias. São R$ 16 por dia, sem contar o coletivo dentro da capital”, disse.


A estudante Sanny Ravanne conta ainda que a manifestação foi organizada através das redes sociais. São estudantes, trabalhadores e pais de estudantes fazem a rota diariamente. Eles reclamam ainda da qualidade dos veículos, que estariam sucateados. “Eles demoram duas horas para fazer o percurso de 56 km”, relatou Sanny.


De acordo com a coronel Júlia Beatriz, comandante da Equipe do Gerenciamento de Crises da Polícia Militar, o protesto foi finalizado às 12h40min. Equipes do Corpo de Bombeiros apagaram as chamas e a estrada foi liberada. "A negociação foi tranquila, não houve prisões", disse a coronel Júlia.


Ainda de acordo com Sanny Ravanne, os moradores afirmam que se não conseguirem discutir a situação com a prefeitura e com as empresas responsáveis, o protesto pode voltar a acontecer durante todos os dias dessa semana.


A Cooperativa de Vans de Transporte Alternativo do Estado disse por meio de nota que o reajuste da tarifa é ilegal por não terem sido apresentadas à população as planilhas que justificam o aumento. A Secretaria Estadual de Trânsito afirmou em nota que o reajuste é referente ao ano de 2015 e que só agora é repassado ao usuário.


Leia abaixo a íntegra das notas da Cooperativa de Vans de Transporte Alternativo do Estado e da Secretaria Estadual de Trânsito.


A COOPERATIVA DE VANS DE TRANSPORTE ALTERNATIVO DO ESTADO INFORMOU QUE O AUMENTO DA PASSAGEM É INDEVIDO PORQUE UM REAJUSTE SÓ PODE SER REALIZADO APÓS EMPRESÁRIOS E A SECRETARIA DE TRANSPORTE APRESENTAREM PARA A POPULAÇÃO PLANILHAS QUE JUSTIFIQUEM A ALTERAÇÃO NO PREÇO, O QUE NÃO FOI FEITO. A COOPERATIVA REFORÇA QUE ATUALMENTE SOMENTE UMA EMPRESA DE ÔNIBUS OPERA NO MUNICÍPIO E QUE A MAIOR PARTE DOS PASSAGEIROS É TRANSPORTADA POR MEIO DAS VANS.


NOTA DE ESCLARECIMENTO - SETRANS


Com relação às manifestações ocorridas devido ao reajuste no valor da tarifa do transporte intermunicipal Teresina/União, a Secretaria de Estado dos Transportes do Piauí (Setrans-PI) esclarece que:


Nos anos de 2013 e 2014, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) concedeu reajuste acumulado de 11,7%, sendo que, no Piauí, o mesmo percentual só foi concedido em 2015.


Com relação ao reajuste de 2015, a ANTT concedeu aumento de 7,7%, o qual não foi repassado aos usuários do sistema, até então.

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados